O que bastaria para termos uma boa educação nas escolas? Um bom professor? Um método de ensino eficiente? Além de tudo isso, a Arquitetura escolar também influencia no processo de ensino. O espaço é responsável pela qualidade durante um processo de aprendizagem.

O ambiente de estudo impacta diretamente aspectos como frequência e comportamento dos alunos, bem como a motivação de seus colaboradores.
Tudo parte inicialmente de um projeto arquitetônico, que deve atender e dialogar com o projeto pedagógico daquela instituição. O ambiente deve ser apropriado para as atividades que o mestre irá desenvolver, influenciando no aprendizado do aluno. A disposição das cadeiras e a iluminação, por exemplo, podem fazer toda a diferença na hora de trabalhar um conteúdo com os alunos.

É preciso ventilação natural, acústica adequada, mobiliário e iluminação. Salas de aula sem iluminação natural e ventilação podem gerar cansaço nos alunos. Ambientes com problema de acústica também dificultam o desenvolvimento. Por exemplo, no nosso clima, ventilação cruzada melhora o conforto térmico para que o aluno se sinta melhor em dias de calor. Pensando em projeto, é possível adquirir esta ventilação mantendo as salas de aula em apenas um lado do corredor orientadas adequadamente para que não bata sol nas pessoas.

O tamanho das salas e da escola em geral deve permitir a interação dos alunos entre si e com os professores também. Uma pesquisa comprova que a distância física reduz a relação entre aluno e professor em 20% o que afeta negativamente o aprendizado. A partir daí, precisamos analisar o tamanho das salas de aula, lotação, arranjo de mobiliário, pois o professor deve estar sempre em posição destacada e de fácil acesso para todos os alunos.

Todos estes pontos, entre outros, visam pensar na funcionalidade do espaço e em melhorias que possa viabilizar o melhor desempenho de todos que utilizam da escola, tornando o aprendizado uma experiência agradável e prazerosa.